Leituras C&T – Pare de tropeçar nas probabilidades

Se você não se dá bem com a matemática, esse livro pode te ajudar. Se toda o uso que você cogita para o estudo das probabilidades se resume a calcular seu palpite para o próximo jogo da Megasena, bem, esse livro também serve para você.

Não se trata de post pago (eu bem que gostaria), mas de compartilhar uma leitura interessante. E como sou daquelas pessoas que tiveram uma convivência medíocre com a Matemática, creio que minha opinião a respeito de um livro que aborda a intrigante área das probabilidades vale um bocado.

O livro O Andar do Bêbado foi escrito pelo físico, escritor de ciência e roteirista Leonard Mlodinow (ele foi roteirista do seriado McGyver) e deve seu nome a um fato que exemplifica o conceito matemático de chance. Ao se observar o caminho aleatório feito por moléculas flutuantes que se entrechocam no espaço, a analogia mais famosa é que o próximo passo é tão previsível quanto o de um bêbado no final da noite. O que faz com que determinado trajeto e não outro seja percorrido? Da mesma forma, diante de alguns fatos cotidianos, nós nos perguntamos o que faz isso ou aquilo acontecer, ou o quão raro é determinado fenômeno.

Mlodinow procura esclarecer os fundamentos dos cálculos das probabilidades ao misturar de forma descontraída a história de pessoas que trouxeram contribuições para a área, exemplos divertidos de aplicações para esses raciocínios e informações que abrem um novo interesse pelo tema. Por exemplo, o fato de o ser humano comum não conseguir tomar decisões adequadas em quantidade e constância respeitável quando variáveis aleatórias estão envolvidas no caso.

Durante todo o livro, espere se deparar com algumas hipóteses bem cotidianas – outras nem tanto – e bater com a mão na testa algumas vezes quando Mlodinow explicar porque determinada decisão tem menos chance de estar correta ou de ser a mais razoável. Tudo com um certo tipo de humor levemente nerd que torna a leitura algo bastante agradável, mesmo que você se assuste com o conceito da pirâmide de Pascal e a lei dos Grandes Números.

O interessante é que em diversos casos – na verdade, todos – é possível entender os raciocínios em meio a tiradas engraçadas e mesmo tentar fazer alguns exercícios durante ou depois da leitura. Não se sinta um trapaceiro em pular páginas até o final: as notas são bastante elucidativas e ajudam a compreender melhor os conceitos, na linha de não poluir o texto principal com explicações demasiadas.

Naturalmente, você não sairá graduado em Probabilidades ao terminar de ler O Andar do Bêbado. O mais provável (com o perdão do trocadilho) é que você pense de novo antes de tomar alguma decisão que envolva o acaso e resolva consultar de novo a obra. E se fizer isso, de certa forma, deixará Mlodinow satisfeito: quebrar o preconceito contra cálculos e estimular uma visão menos rígida a respeito das probabilidades estão dentro da lista de objetivos – logo acima do item que diz “oferecer uma boa dose de informações em um texto leve e bem-humorado”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s