Uma causa dolorida e as mudanças envolvidas

Após 50 anos dos primeiros casos de malformações por conta da talidomida, a fabricante do medicamento, a Grunenthal, inaugurou um memorial em uma estranha homenagem às suas vítimas nesta semana, na Alemanha. Nesse local, há uma estátua de uma criança sem os braços e as pernas, em uma referência às dezenas de milhares de pessoas afetadas pela droga, que foi colocada no mercado sem as devidas baterias de testes, nos anos 60. É irônico que a talidomida, que foi vendida como sedativo capaz de promover alívio para as náuseas matinais de gestantes tenha provocado tanta dor para tantas pessoas. Continuar lendo